Hacktivismo e Eleições 2018

Com a prisão do ex-presidente Lula, o clima de acirramento político no Brasil se amplia a patamares inéditos na história recente. A dimensão cibernética não existe no vácuo e reflete esse panorama político-ideológico. Ela é, contudo, agravada pela capacidade ofensiva demonstrada por diversos hackers e/ou grupos brasileiros. Se para causar impacto presencial manifestantes precisam de um contingente grande de pessoas para bloqueio de vias públicas, hackers e/ou grupos podem manejar grandes ataques de negação de serviço com poucos recursos financeiros

Continuar Lendo

Vazamento de dados pessoais – Felipe Neto

O advento das redes sociais e os inúmeros meios de comunicação existentes permitiram que a notoriedade seja alcançada por pessoas que em outros tempos seriam desconhecidas. Exemplo desse fenômeno são os youtubers que possuem canais com milhares de seguidores e com isso se tornam pessoas “famosas”.

Consequência dessa notoriedade é o escrutínio público que recai sobre a vida privada desses indivíduos, outrora desconhecidos. Na dimensão cibernética, onde hackers e/ou grupos possuem acesso a dados que o cidadão comum não dispõe, essa

Continuar Lendo

Vazamento de dados – Venezuela

Já reportamos vazamento de dados de entidades brasileiras como do Partido Comunista Brasileiro (PCdoB), do Partido dos Trabalhadores (PT), do IDP – Instituto Brasiliense de Direito Público, de entidades públicas do Piauí, e entidades estrangeiras com vazamentos de dados de entidades argetinas e cubanas.

Identificamos vazamento de dados de pessoas vinculadas ao gabinete da presidência da Venezuela.

A motivação para os vazamentos é política, o que permite a classificação dos dados como hacktivismo.

Os dados de 22

Continuar Lendo