OpJamalKhashoggi

Nosso sistema de Monitoramento Avançado Persistente (15/10) identificou publicação no Pastebin.com que convoca a comunidade hacktivsta a atacar alvos da Arábia Saudita como protesto pelas acusações de homicídio do jornalista saudita Jamal Khashoggi.

OpJamalKhashoggi

O jornalista, crítico do regime saudita, foi visto pela última vez há 12 dias entrando no consulado da Arábia Saudita em Istambul, Turquia.

A convocação indica a justificativa para a campanha:

Jamal Khashoggi is/was a prominent journalist who been assassinated inside Saudi Arabia’s consulate at Istanbul Turkey.
Saudi Arabia government is violating ALL ethics & #HumanRights for the last 3 years exceeding previous records of violations. & Appallingly Saudi Arabia is head seat of United Nations human rights committee.
Jamal Khashoggi “was” infamous journalist been writing in major news media lately working with Washington Post.

Indica ainda uma série de hashtags para utilização no Twitter no caso de ataques conduzidos como parte da campanha:

  • #JusticeForJamal
  • #OpJamalKhashoggi
  • #BoycottSaudiArabia
  • #DavosInTheDesert
  • #CancelCrownJewel
  • #جمال_خاشقجي
  • #JamalKashoggi
  • #JamalKhashoggi

Num dos links referenciados na publicação é possível identificar uma lista de contas de Twitter que seriam utilizadas pelo governo saudita como ferramenta política (trolls) para influenciar o debate em redes sociais:

  • @wa6ani_1
  • @naaif2828
  • @naif_k28
  • @masdar_saudi
  • @News_Brk24
  • @AbuFaid
  • @fdeet_alnssr
  • @naif4002
  • @Qwt_Alrad3
  • @khaledncc
  • @Abo_z1
  • @5a1di
  • @slman_army2
  • @Wgad_Alhuthali

Por fim, a publicação indica uma sequência de alvos potenciais para ataques durante a campanha hacktivista.

OpJamalKhashoggi

A convocação para participação nessa campanha foi formulada em inglês, mas não foi reivindicada por nenhum grupo hacktivista. Essa contradição entre a incitação pública e a ausência reivindicação de autoria pode sugerir que a publicação não seja originária de grupos hacktivistas, mas atores estatais (p.ex. Irã que é o grande rival regional da Arábia Saudita).